Follow by Email

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Roda-gigante rosa será inaugurada no parque Ibirapuera em campanha contra o câncer


Uma roda-gigante iluminada de rosa vai ser a nova sensação do parque do Ibirapuera. O Giro pela Vida no Parque Ibirapuera, que será inaugurado na noite desta quinta-feira, é destaque dentro do conjunto de mobilizações da campanha Avon contra o Câncer de Mama, que será realizada em várias partes do país ao longo do mês de outubro. A empresária e ex-modelo Luiza Brunet, atual embaixadora do Instituto Avon, será uma das personalidades que vão marcar presença no evento.

Os visitantes do parque poderão girar na roda gratuitamente, a partir de sexta-feira, até o próximo dia 12 de outubro, desde que dediquem alguns minutos para receber informações sobre a doença e os exames preventivos. A roda-gigante iluminada de cor-de-rosa, de 20 metros de altura, representa os altos e baixos que a mulher enfrenta com a doença.

Além da diversão e da informação, haverá um serviço importante. Diariamente, estarão disponíveis mamografias para mulheres com mais de 40 anos. Elas serão realizadas dentro de uma carreta do Hospital de Câncer de Barretos, por meio do Sistema Único de Saúde, o SUS. Para fazer a mamografia, é necessário ter em mãos a carteirinha do SUS e comprovante de residência.

Enquanto a roda gira na Praça de Eventos, outras atrações relacionadas à campanha estarão acontecendo dentro do parque mais amado dos paulistanos. O espetáculo Giro pela Vida será apresentado ao público em todos os sábados e domingos de outubro. Ele consiste na dança das águas na famosa Fonte Multimídia do parque, que estará colorida de rosa durante todo o mês de outubro, e a exibição de curtas e fotos relacionados ao tema, com imagens e depoimentos emocionantes. A narração será de uma voz feminina, algo inédito nos shows da Fonte.  As sessões, com duração de 20 minutos cada, acontecerão sempre às 20h e 20h30.

Ao final de cada apresentação, uma instalação artística, em forma de árvore, será iluminada como encerramento do espetáculo. A Árvore da Vida, projetada em fios de alumínio pelo artista Paulo Bordhin, vai rodar sobre o próprio eixo para que as pessoas possam escolher o local onde amarrar o laço rosa, ícone da campanha.

“Giro Pela Vida” – Roda Gigante no Parque Ibirapuera
Quando: 3 a 12 de outubro de 2014, 2ª a 6ª feira, das 14 às 20 horas; sábados e domingos, das 10 às 22 horas

Espetáculo na Fonte Multimídia Giro Pela Vida
Quando: Todos os sábados e domingos de outubro, às 20h e 20h30

Fonte: http://glamurama.uol.com.br/roda-gigante-rosa-sera-inaugurada-no-parque-ibirapuera-em-campanha-contra-o-cancer/

Michael Bublé lota três shows no Ginásio do Ibirapuera


Minha confiança cresceu e meu ego diminuiu, diz o cantor canadense Michael Bublé, respondendo à pergunta sobre o que mudou em sua carreira em 10 anos, tempo entre seu primeiro disco, "Michael Bublé" (2003), e o mais recente, "To Be Loved" (2013).

"O ego é baseado na insegurança. Com o tempo, a gente aprende a respeitar mais a si mesmo e também a se divertir mais", afirmou Bublé, um dos mais populares crooners da atualidade, falando à reportagem por telefone de Buenos Aires, onde se apresentou no final de semana. Casado com a argentina Luisana Lopilato desde 2011, pai recente pela primeira vez (o filho, Noah, nasceu há um ano), ele diz que hoje dá pesos diferentes à vida pessoal e à carreira. A partir desta sexta, com uma big band com 16 integrantes no palco, em duas horas de apresentação por noite, Bublé inicia uma série de três shows lotados no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

"Antes do nascimento de Noah, eu era focado demais, muito obsessivo em relação à carreira. Nesse ponto da minha vida, as prioridades são outras, meu propósito é outro, carreira não é mais a coisa mais importante. O que é interessante, porque isso coincide com uma fase ótima, estou mais relax, as coisas saem com mais felicidade e alegria", afirmou Bublé.

O cantor conta que chegou a fazer 220 concertos em um único ano, mas que diminuiu o ritmo por causa do filho. O que não muda é seu senso de humor, ele que é um piadista incorrigível e diverte muito suas plateias. "Obrigado a você aí pela bebida. Grato a você ali pelo abraço. E, ei você, eu sei que foi você que apertou minha bunda!", diz, após mergulhar no meio do público, sempre com boa resposta da audiência.

"Não é algo que eu force, é natural, é parte de minha vida. Ajuda muito a relaxar. Tenho uma amiga que é uma comediante incrível. Uma vez estávamos conversando e eu disse a ela como ela era engraçada no palco. E ela me apresentou alguns de seus redatores. A diferença é essa: eu não tenho um redator, eu sou o autor de meus textos. Eu improviso, eu sou aquela pessoa ali mesmo. E é curioso: seja no Japão, seja no Brasil, qualquer que seja a cultura, todos entendem, todos riem. Porque sentem que é espontâneo", afirma.

Bublé diz que uma de suas condições para viajar pelo mundo com seu show é que toda a produção internacional viaje consigo - nada de meias produções. Nem um holofote a menos. "Não sou um herói, mas é esse o jeito que eu vejo meu trabalho. Viajo com uma das maiores e melhores bandas do planeta, e tento oferecer tudo que temos, que seja tão bom quanto possível em todos os lugares. Sei que os ingressos são caros, sei que as pessoas muitas vezes fazem sacrifícios para estar ali. Por isso, dou o melhor que posso oferecer", garantiu.

Na Argentina, no último sábado, Bublé fez até mais do que podia. Cantando debaixo de uma bruta tempestade, no Estádio Gimnasia y Esgrima, ele não titubeou e, apesar das advertências do empresário, saiu do seu abrigo seguro no palco e foi cantando a capela "Save the Last Dance to Me", com o microfone debaixo d?água, entre os fãs. "Me disseram para cancelar o show, para postergá-lo, porém eu pensei: ''Se vocês estão aí, eu estarei aqui no palco''", contou.

Ele abre seu show sempre de smoking, sempre com uma canção que Elvis Presley eternizou, "Fever". Com um jeito iconoclasta de tratar standards (às vezes, usando o cenário como pista de "skate" ou surgindo de um elevador gigante) como "Cry me a River" (Julie London), "You Make me Feel so young" (Frank Sinatra), "That?s All" (Nat King Cole) e outros, ele abre o american songbook para outros artistas que estão chegando agora.

É o que faz, por exemplo, com sua interpretação de "Get Lucky", sucesso recente do Daft Punk. "Isso muda a cada noite, nem sempre são as mesmas músicas. As canções têm um balanço, um ritmo, e eu cada vez incorporo mais canções ao meu repertório. Basta que elas me conquistem", ele explica. Uma das consequências de sua primeira década no show biz. "Nesse tempo, conheci e colaborei com grandes músicos, como Van Morrison, Rod Stewart, Brian Adams. Isso me ensinou muito", pondera.

Outras canções que comparecem são "All You Need Is Love" (Beatles), "To Love Somebody" (Bee Gees), "Who?s Loving You" (Jackson Five), entre outras. Esse é mais ou menos o credo do crooner canadense desde o seu início: reinterpreta Eric Clapton ("Wonderful Tonight"), Leonard Cohen ("I?m Your Man"), Amy Winehouse ("Rehab") Harold Arlen ("I?ve Got the World on a String"), Billy Paul ("Me and Mrs. Jones"), Henry Mancini ("It Had Better be Tonight") e o que mais aparecer. Sempre com um irrepreensível coté de bom moço.

"Antes de cantar, você sabe, a gente tem de saber viver. Quero viver bem a vida e transmitir isso em meu trabalho. Feliz, eu me saio melhor no palco, no estúdio. Não sei se você costuma ver meu Instagram, mas eu sempre posto fotos e vídeos lá. É um jeito de me manter em comunicação com meus fãs, e sem intermediários. Gosto de estar em movimento, gosto de brincar", confessa o músico.

No álbum mais recente, "To be Loved", ele canta com alguns convidados, como Reese Whiterspoon e Brian Adams. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

MICHAEL BUBLÉ

Ginásio do Ibirapuera. Rua Manoel da Nóbrega, 1.361. Tel. (011) 4003-1527. 6ª, 22 h; sáb. e dom., 21h30. R$ 280/ R$ 500.

Fonte: http://www.dgabc.com.br/Noticia/853649/michael-buble-lota-tres-shows-no-ginasio-do-ibirapuera?referencia=minuto-a-minuto-topo

Orquestra Experimental de Repertório toca no Auditório Ibirapuera


A Orquestra Experimental de Repertório (OER) se junta ao pianista Marcelo Bratke para apresentar um concerto no domingo, dia 28. A apresentação acontece no Auditório Ibirapuera - Oscar Niemeyer, às 11h, e tem entrada totalmente Catraca Livre. Os músicos executam peças que vão de Ludwig Van Beethoven a Alexandre Travassos.

Com regência de Carlos Moreno, a Orquestra e o pianista apresentam "A Captura do Saci Pererê", de Alexandre Travassos; "Don Juan, Op. 20" e "Burlesque, TrV 145", de Richard Strauss e "Sinfonia nº5 Dó Menor, Op. 67", de Ludwig Van Beethoven. A OER é um grupo artístico da Fundação Theatro Municipal, com mais de duas décadas de história.

O QUE
Orquestra Experimental de Repertório com Marcelo Bratke
QUANTO
Catraca Livre
ONDE
Auditório Ibirapuera - Oscar Niemeyer
http://www.auditorioibirapuera.com.br/
Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n - Portão 2 do Parque do Ibirapuera
Parque Ibirapuera - Sul
São Paulo
(11) 3629-1075
VER NO MAPA
Dom 28/09 às 11:00
ADICIONAR À MINHA AGENDA DO GOOGLE
OBSERVAÇÃO
Distribuição de ingressos na bilheteria do Auditório, uma hora e meia antes da apresentação.

Fonte: https://catracalivre.com.br/sp/agenda/gratis/orquestra-experimental-de-repertorio-se-apresenta-no-auditorio-ibirapuera/

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Parque Ibirapuera recebe a primeira edição do "Sarau da Madrugada"


Encontros serão realizados em todas as madrugadas de sábado para domingo no mês de setembro, com apresentações de saraus e batalhas poéticas

SÃO PAULO - O Mês da Cultura Independente (MCI), evento promovido pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, chega a sua oitava edição e destaca uma programação, composta por diferentes manifestações culturais que objetivam valorizar e promover as novas experiências culturais, a criatividade e a inovação. As atividades começam neste sábado (6) e uma das primeiras atrações é a primeira edição do Sarau da Madrugada, que recebe batalha poética dos coletivos ZAP e Slan da Guilhermina, com show de encerramento da Emblues Band.

Até o fim de setembro em todas as madrugadas de sábado para domingo do Parque Ibirapuera, das 0h às 5h, haverá apresentações de saraus e batalhas poéticas, com participação de diversos coletivos. Confira os coletivos participantes:

- ZAP e Slam da Guilhermina + Emblues Band

O ZAP - Zona Autônoma da Palavra que ocorre no Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e o Slam da Guilhermina que acontece ao lado do Metrô Guilhermina-Esperança, promovem espaços dedicados à poesia falada, agora livre, festa no tempo onde a diversidade é convidada de honra e a celebração da palavra é o principal objetivo. O evento literário tem como proposta reunir poetas, M.C's e público para experimentar a palavra de uma forma lúdica, com recitais e batalhas poéticas.  Quando: 06/09, às 23h59 ZAP e Slam da Guilhermina e à 2h30 Emblues Band

- Sarau da Cooperifa + Exibição de Filme

O Sarau da Cooperifa, que ocorre semanalmente no Bar do Zé Batidão, na zona sul da cidade, tradicionalmente lota durante as noites de quarta-feira, mas Sérgio Vaz, poeta fundador e idealizador do Sarau sempre ressalta que "a Cooperifa não é um lugar, e sim um sentimento", por isso também está presente em escolas, centros culturais e espaços públicos. Além dos poetas e do público deste quilombo cultural que sempre promovem um encontro forte entre as pessoas e a poesia, a Cooperifa é quando a poesia desce do pedestal e beija os pés da comunidade, e por isto seu chamado de "povo lindo, povo inteligente" é sempre respondido.

O evento é pioneiro na disseminação da poesia que nasce nas periferias e tornou-se referência para diversas iniciativas que surgiram posteriormente. Quando: 13/09, às  23h59,  Sarau da Cooperiferia e às 2h30, Sessão de filme Curtas Vai.

- Elo da Corrente + Jam Dança Improvisação

A iniciativa coletiva literária Elo da Corrente, está localizada no bairro de Pirituba. O sarau, realizado no bar do Santista, é um espaço de encontro da comunidade em torno da literatura, fomentando a produção de conhecimento oral e escrito. Desse encontro desdobram-se outras atividades, como a manutenção de uma biblioteca comunitária, um blog e uma editora independente, a Elo da Corrente Edições, que publica obras dos artistas locais.

Tem como objetivo construir, de forma participativa, referências positivas sobre o bairro, abrindo um espaço de livre expressão, produção cultural e registro dessa produção. O eixo de atuação do coletivo é a produção, fomento e difusão da cultura de periferia, nordestina e afro-brasileira.  Quando: 20/09, às  23h59 Sarau Elo da Corrente e às 2h30, Jam Dança Improvisação.

- Sarau do Binho + Circo Incandescente

Referência de expressão cultural e conscientização política na região do Campo Limpo, na Zona Sul de São Paulo, o Sarau do Binho promove uma reunião de poetas, cantores e músicos. O sarau tem como proposta o compartilhamento e o diálogo da arte, poesia e rimas livres. Autores com obras publicadas dialogam no mesmo espaço com autores iniciantes e o público presente, que pode participar e mostrar sua produção. Quando: 27/09, às 23h59, Sarau do Binho e às 2h30 Noite de Compositores.

Todas as apresentações serão realizadas no Parque do Ibirapuera com entrada franca.

fonte: http://www.dci.com.br/cultura/parque-ibirapuera-recebe-a-primeira-edicao-do-sarau-da-madrugada-id413706.html

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Pavilhão Japonês do Parque Ibirapuera tem programação especial

Espaço comemora 60 anos em 2014.
Shows e oficinas são destaque no mês de setembro.
O Pavilhão Japonês no Parque Ibirapuera comemora 60 anos com uma programação de eventos especiais. O espaço foi entregue em 1954 pela colônia japonesa pela ocasião do quarto centenário de São Paulo.
Os visitantes que quiserem conhecer o pavilhão encontram uma maquete do palácio de Himeji e a exposição de cerâmicas, pinturas e ilustrações japonesas. A programação especial inclui oficinas gratuitas e concertos de música clássica japonesa.
Para participar das oficinas é necessário se inscrever. A programação completa pode ser encontrada no site da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social.
Serviço:
Pavilhão Japonês – Parque do Ibirapuera – acesso mais próximo pelo portão 10 (próx. ao Planetário e ao Museu Afro Brasil)
Funcionamento: quarta-feira, sábado, domingo e feriados – Horário: das 10h às 12h e das 13h às 17h
Contribuição adulto: R$ 7,00, Estudante com carteirinha e crianças de 5 a 11 anos: R$ 3,50, Menores de 5 anos e idosos acima de 65 anos: entrada gratuita.
Informações: (11) 5081-7296 / (11) 3208-1755 / patrimonio@bunkyo.org.br – www.bunkyo.org.br

fonte: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/08/pavilhao-japones-do-parque-ibirapuera-tem-programacao-especial.html

Verdejando promove shows na Virada Sustentável no Ibirapuera

O Verdejando participa neste sábado (30/08/14) da Virada Sustentável, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Será um dia de bem-estar, lazer e música. Quem quiser participar pode ir até o Bosque das Figueiras, em frente ao Pavilhão Japonês do parque. Entre as atrações estão Marcelo Jeneci, Antônio Nóbrega e San do Grupo Sambô.
Todas as ações são voltadas à preservação do meio ambiente, com distribuição de cerca de 5 mil mudas, oficinas de plantio e palestra sobre as árvores do Ibirapuera com o Dr. Árvore.
O evento abre oficialmente o Verdejando 2014, projeto idealizado pela Globo, em parceria com a Secretaria do Verde e Meio Ambiente, que aborda a importância dos espaços verdes em São Paulo e realiza diversas atividades pela cidade.

Fonte: http://g1.globo.com/sao-paulo/verdejando/noticia/2014/08/verdejando-promove-shows-na-virada-sustentavel-no-ibirapuera.html